ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES

sexta-feira, 11 de março de 2016

O Agir de Deus na Vida do seu Povo


E aconteceu que, quando Faraó deixou ir o povo, Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus, que estava mais perto; porque Deus disse: Para que porventura o povo não se arrependa, vendo a guerra, e volte ao Egito. Mas Deus fez o povo rodear pelo caminho do deserto do Mar Vermelho; e armados, os filhos de Israel subiram da terra do Egito. E Moisés levou consigo os ossos de José, porquanto havia este solenemente ajuramentado os filhos de Israel, dizendo: Certamente Deus vos visitará; fazei, pois, subir daqui os meus ossos convosco. Assim partiram de Sucote, e acamparam-se em Etã, à entrada do deserto. E o SENHOR ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite. Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite (Êxodo 13.17-22).

      O Êxodo dá continuidade à narrativa iniciada por Moisés, em Gênesis. O título do livro, deriva da palavra grega “êxodos” (título empregado na Septuaginta, a tradução do Antigo Testamento em grego), que significa saída ou partida. Refere-se à poderosa libertação de Israel, efetuada por Deus, tirando-o da escravidão, e à sua partida daquela terra, como povo de Deus. Como Deus havia predito (Gênesis 15.13,14), após quatrocentos anos numa terra estranha (Egito - império poderoso no Antigo Testamento e situado no nordeste da África), Israel estava livre sob a liderança de Moisés.

    A Bíblia relata que no evento que narra à saída do povo israelita da terra do Egito, contam-se 600.000 varões (Êxodo 12.37; Números 11.21). Alguns teólogos afirmam que contando mulheres e crianças o total seria 2 a 3 milhões de pessoas. Um número gigantesco! Como alimentar tantas pessoas? Possivelmente se perguntava Moisés, por conta de sua responsabilidade. Contudo, Deus concede o maná e faz jorrar água da rocha, porque ele é soberano e tem cuidado do seu povo e se for preciso, Ele chama as coisas que não são como se já fossem (Romanos 4.17).

      Analisando os versículos do texto destacado, podemos observar o trabalhar de Deus na vida do seu povo. Atentemos: 

v. 17 - “Deus não os levou pelo caminho da terra dos filisteus (descendentes de Casluim. Golias foi um dos mais conhecidos filisteus, inimigos constantes de Israel. Povo não semita.), que estava mais perto.” Possivelmente os israelitas estavam se perguntando o porquê de não irem pelo caminho mais curto. Mas Deus, como um ser onisciente sabia que o caminho mais curto levaria o seu povo a arrepender-se. Deus tem cuidado de nós. Existem caminhos que ao homem parecem direito, mas o fim deles são os caminhos de morte (Provérbios 14. 12). Muitas vezes indagamos a Deus e refletimos por qual motivo Ele tem nos colocado naquele emprego ou naquele curso, em alguma faculdade... Saiba que nada acontece por acaso, Deus quer trabalhar através de sua vida, onde você se encontra. 

v. 18 - “... mas Deus fez rodear o povo pelo caminho do deserto perto do mar Vermelho.” De modo igual ao povo israelita, existem momentos em nossas vidas que para alcançar a vitória, precisamos caminhar pelo deserto (consoante o dicionário, deserto significa terras extensas e secas, com poucas árvores e pouco capim, onde não mora ninguém; biblicamente, representa solidão, labuta, dor, sofrimento). O versículo ainda nos fala que subiram os filhos de Israel armados da terra do Egito. Quando passamos pelo deserto, existe sempre algum propósito divino e é lá que temos a oportunidade de chegarmos mais próximos de Deus e nos revestimos de toda sua armadura (Efésios 6.11). 

vs. 21 e 22 - “E o SENHOR ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite. Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite.” Mesmo em situações adversas de nossa vida, Deus está sempre adiante de nós, para nos guiar pelo caminho que lhe apraz e para que seu nome seja glorificado. Ele não muda e nunca mudará!