ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES

sábado, 21 de maio de 2016

A Água Viva que Mata a Sede


Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna. Disse-lhe a mulher: SENHOR, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la. A mulher disse-lhe: Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando ele vier, nos anunciará tudo. Jesus disse-lhe: Eu o sou, eu que falo contigo. Deixou, pois, a mulher o seu cântaro, e foi à cidade, e disse àqueles homens: Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Porventura não é este o Cristo? Saíram, pois, da cidade, e foram ter com ele. E muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele, pela palavra da mulher, que testificou: Disse-me tudo quanto tenho feito (João 4.14,15,25,26,28-30,39).


     Os versículos acima citados tratam de uma porção referente à passagem bíblica da mulher samaritana (João 4.1-30; 39-42). Tal situação ocorre quando Jesus durante seu ministério na terra decide sair da Judéia a fim de retornar à Galiléia, resolvendo assim passar por Samaria, que constituía o caminho mais curto entre estas duas regiões. Chegando a Samaria, Jesus cansado resolve assentar-se junto de um poço e assim esperar seus discípulos, que haviam ido à cidade comprar comida. Surge então uma mulher que estava com um cântaro para tirar água. A partir daí, inicia-se um diálogo de onde verdades podem ser extraídas, e assim somar em nossas vidas.

      Assim, a primeira verdade que podemos elencar do texto está no momento em que Jesus apresenta a Sua “água” àquela mulher, afirmando esta ser melhor do que a que a mesma veio buscar no poço (v. 14). “A água de Jesus faz jorrar uma fonte dentro de nós que acaba com toda a nossa sede”! Com isso, se entende que aquilo que o Senhor tem para nossas vidas é muito melhor do que qualquer outra coisa que possamos imaginar, pois Ele supre todas as nossas necessidades!

       A segunda verdade está no versículo seguinte (v. 15), quando a mulher, embora não entendendo que Jesus tratava com ela de algo espiritual, tem interesse por aquilo que Cristo lhe oferecia. Querido(a), a mulher demonstra fé ao ouvir a mensagem do Mestre, e esse atributo é essencial para que deixemos Deus operar em nossas vidas, fazendo o maior milagre de todos que é a salvação da alma do homem.

        No versículo 25, a samaritana nos ensina uma terceira verdade quando diz a Jesus: “Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem...”, pois mostra não saber que o próprio Deus está à sua frente, demonstrando estar cega espiritualmente. Eis aqui uma severa advertência: saber da vinda de Cristo é uma realidade e viver para vinda de Cristo, tendo comunhão com Ele e sua Igreja aqui na terra, outra, sendo esta última a que garante salvação e vida eterna.

       Quarta verdade: se encontra no versículo 26, quando podemos observar a resposta de Jesus à fé da samaritana e a real vontade do Senhor, que é a de revelar sua identidade às pessoas, afinal, Ele poderia ter ignorado àquela mulher durante sua jornada ou poderia ter ido acompanhar seus discípulos, mas NÃO! Jesus empenhou seu tempo em fazer algo que é sua especialidade: mudar a história de quem deposita a sua fé nEle!

        No transcorrer dos últimos versículos (vv. 28-30, 39), visualizamos a quinta e última verdade que elenco para nossa meditação, que se trata do resultado de quem passa a ouvir a voz de Cristo e a conhecê-lo de perto. Àquela mulher mudou os seus planos, o texto diz: “Deixou, pois, a mulher o seu cântaro...” (v. 28), a mulher passou a ser um instrumento de pregação do Evangelho, anunciando Cristo a outras pessoas (v. 29) e o mais lindo: através de seu testemunho conduziu a muitos daquela cidade a crerem e serem salvos por Jesus (v. 39).

       Amigo(a), finalizo esta reflexão em espírito de oração, a fim de que você escute a voz de Cristo, deposite a sua fé nEle, passe a sentir a presença Dele na sua vida, deixe o seu cântaro e passe a ser uma bênção na sua casa, na Igreja e na sua cidade!